Dia Mundial dos Direitos Humanos.No Reino da Dinamarca.

Segundo o resumo INE à analise dos dados dos Censos 2011 , sob a forma de resultados provisórios, “somos mais e continuamos um país de imigração /Estamos mais velhos e temos um nível de escolaridade mais elevado /Vivemos em famílias de menor dimensão /Existem cada vez mais alojamentos para utilização secundária e vagos/ Os alojamentos onde habitamos possuem, quase todos, as infraestruturas básicas “…” O país acentuou o padrão de litoralização da década anterior e reforçou o movimento de concentração da população”…”O fenómeno do duplo envelhecimento da população, caracterizado pelo aumento da população idosa e pela redução da população jovem, agravou-se na última década…15% da população residente em Portugal  encontra-se no grupo etário mais jovem (0-14 anos) e cerca de 19% pertence ao grupo dos mais idosos, com 65 ou mais anos de idade….vivendo junto das grandes áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.  E a maior parte dos municípios do interior perdeu população”.

Até aqui nada de novo no reino da Dinamarca.Mas mais talvez:tudo cada vez mais velho e cada vez mais “…”  ( é só escolher o adjectivo que se queira, entre  positivos, negativos ou nulos:)) no reino da Dinamarca. Sobretudo depois de uma década que passou como acabou ou vai acabar da forma como se antevê o futuro da linha do Tua: abandonada, em queda, submersa, ou “FozCoada”.

A minha preocupação, fora este quadro de fundo, está no entanto e cada vez mais noutras andanças. Nas andanças da construção de uma Sociedade Aberta e Culta e em que,  em termos de direitos Humanos, saibamos sempre onde estamos e para onde vamos. Como estamos de “proibição da discriminação no exercício de direitos /Direito à vida/Direito à liberdade e segurança /Liberdade religiosa e de educação / reunião e associação?”.

Pouco sabemos  sobre como nos comportamos e crescemos no meio de uma cultura de muitos séculos (é só fazer a conta…) a não ser muito depois e normalmente empolando aspectos negativos. Exemplo de Fevereiro de 2009 relatado na imprensa -“o relatório sobre Direitos Humanos do Departamento de Estados dos EUA revela que em Portugal os Direitos Humanos continuam a não ser respeitados. Segundo o documento, os principais problemas são os abusos da polícia e dos guardas prisionais, as más condições nas cadeias, a violência doméstica e o tráfico de mão-de-obra e de mulheres.”

Estou, no quadro de resultados de censos do Reino e da urgencia de salvaguardar o que a “talentocracia Ganaciosa e a Demagogia Politica” tem destruído lentamente, cada vez mais curioso de saber se, tendo em conta os aspectos sociodemográficos de mudança em que as mulheres são mais e possuem qualificações mais elevadas do que os homens, o número de famílias clássicas aumentou e verificou-se  o agravamento do índice de dependência total que passou de 48 para 52 ( por cada 100 pessoas em idade ativa existem 52 dependentes) se no Reino não ganharemos pelo menos a “batalha” da solidariedade realista” para além de algum “novoriquismo de ajuda ao pobrezinhos” que sempre se activa mais em épocas de crise, e a genuína dádiva solidária de muitas Organizações, entre as quais me permito destacar o “Banco Alimentar Contra a Fome” no combate a este grande flagelo que afecta os Direitos Humanos, mesmo em Paises que simpatizam com o Reino (por caridade pela sua pacatez) e em que parece haver apenas calculo económico a fazer as contas no numerador dos Direitos Humanos.

Francisco Velez Roxo

Anúncios

Sobre Francisco Velez Roxo

Cidadao do Mundo
Esta entrada foi publicada em Ética, Crise, Equidade, Os media com as etiquetas . ligação permanente.

Uma resposta a Dia Mundial dos Direitos Humanos.No Reino da Dinamarca.

  1. Daniel Ribeiro diz:

    Francisco,
    Não o conheço mas ontem lembrei-me de si, isto é, deste seu post e do dia mundial dos direitos humanos. Foi no CAM (Gulbenkian). Ao visitar a instalaçâo “Plegaria Muda” de Doris Salcedo. Uma prece muda…
    Abraço
    Daniel

Os comentários estão fechados.