NOVA ESPÉCIE DE EMIGRAÇÃO

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

7 respostas a NOVA ESPÉCIE DE EMIGRAÇÃO

  1. Daniel Ribeiro diz:

    Bom dia Luis Henriques,

    É-me dificil interpelar com palavras o sentido (os sentidos) que as imagens propõem. E as suas não escapam a esta minha limitação. Falta-me também engenho e talento para o comentar na mesma “moeda”. O que quero dizer-lhe é que os seus desenhos, e a sua cadência neste blog, asseguram já uma espécie de traço de identidade para além das palavras. É que o me parece.
    Deixo-lhe uma palavra de apreço por estes seus contributos. Desculpar-me-á a imagem, mas é como se oferecessem uma espécie de sorriso… em perspectiva.

    Cumprimentos.
    Daniel Ribeiro

  2. Jorge Bravo diz:

    Boa, impagavel!

  3. Luís Henriques diz:

    Caro Daniel, caro Jorge,

    A crise política e económica é inversa ao financiamento do humor (um tanto negro). Não hão-de faltar motivos absurdos para nos rirmos um pouco.

    Obrigado pelos vossos comentários e até breve
    L. H.

  4. Ronaldo Rosa diz:

    Depois de ver esta imagem de humor que compreendo totalmente tenho apenas 2 notas de rodapé. A primeira, é que vejo no facebook pessoas a dizer que irão deixar de ir ao Pingo Doce o que acho ridiculo pois seria o mesmo que deixar de ir ao LIDL que é Alemão e o dinheiro vai para lá. Não deixem de ir ao Pingo Doce porque estarão a prejudicar não a empresa mas sim quem trabalha nela, a jerónimo Martins apenas tem 8% do seu investimento em Portugal, atualmente ela possui 70% na Polónia e o restante começou a investir na Colômbia. Por isso se deixarem de ir ao Pingo Doce os Portugueses que lá trabalham serão despedidos e pouco afetará a JM. O segundo ponto é que concordo plenamente com a sua ida para a Holanda, desde que a empresa não deixe dívidas e tenha a sua situação regularizada em Portugal é livre de ir para onde quiser. Ora faço-vos esta pergunta, se receberem uma proposta de emprego noutro país que vos pagam mais não aceitam? Eu aceitava, e neste caso a proposta da JM é pagar menos impostos, não vejo mal nisso afinal estamos num Mundo Globalizado onde os Estados tem que competir para atrair investimento, infelizmente Portugal é dos menos atrativos devido a um aparelho Judicial que não funciona e um Estado que tem impostos demasiado altos. Sinceramente acho que estão a fazer demasiado alarido por algo que é normal, a não ser que queiramos ser um Estado totalitário que obrigue as empresas e pessoas a ficar cá contra sua vontade. Desculpem a minha intervenção mas é apenas o que penso no seguimento desta imagem que tenta fazer humor a toda uma polémica que se tem alimentado e a meu ver sem razão, obrigado.

    • Luís Henriques diz:

      Caro Ronaldo,

      Longe de mim boicotar a economia nacional!
      Fiz este desenho Imbuído num verdadeiro espírito de campanha (semelhante ao das recentes campanhas publicitárias das grandes e médias superfícies, orgulhosas da máxima portugalidade dos seus produtos).
      É uma ideia para complementar o consumo interno do produto nacional: exportar galos de Barcelos para a Holanda.

      Obrigado pelo seu comentário e até breve
      Luís
      (seriamente: se reparar, há mais do que um Galo, meio escondido entre as tulipas)

  5. Ronaldo Rosa diz:

    Hahahahaha Um dos Galos é a JM e os outros 4? Sinceramente como já disse não me preocupa a JM ir para a Holanda pois está no seu direito de o fazer visto que ainda somos uma Democracia. Sinceramente o que me choca ou chocou, foi a primeira exportação que fizemos para a Holanda, que foram os Judeus ou os chamados cristãos novos, isso sim foi uma perda para Portugal e fez com que sejamos dos países mais atrasados da Europa na nossa economia e o que explica que um país que foi conquistado ao mar e só tenha Tulipas, como bem disse, seja dos mais ricos da Europa. Preferia ter exportado todos os Galos deste País invés de ter expulsado o nosso maior recurso ou seja o capital humano que possuiamos com o povo Judaico que eram Portugueses como os outros mas que apenas tinham outra religião. Infelizmente naquela época a estupidez era muito maior do que a de hoje em dia, enfim o tempo não volta atrás…

Os comentários estão fechados.